Resenhas

Resenha: Papa-Capim — Noite Branca (Marcela Godoy & Renato Guedes)

img_3214.jpg

E aí pessoal, tudo bem?

Hoje para quem não sabe, é Dia do Folclore.

Eu particularmente amo as lendas e mitos brasileiros, e é claro, não poderia deixar de resenhar alguma obra que retratasse esse maravilhoso universo.

Meu canto de morte
Guerreiros, ouvi:
Sou filho das selvas,
Nas selvas cresci;
Guerreiros, descendo
Da tribo tupi

Da tribo pujante,
Que agora anda errante
Por fado inconstante,
Guerreiros, nasci:
Sou bravo, sou forte,
Sou filho do Norte;
Meu canto de morte,
Guerreiros, ouvi.

 

Papa-Capim — Noite Branca faz parte do projeto Graphic MSP, nesse volume Macela e Renato nos trazem o curumim mais amado dos quadrinhos infantis completamente mudado.

Um espírito antigo que veio de uma terra bem distante começa a atacar as aldeias do Brasil, ele é chamado de Noite Branca.

Com seu exército ele transforma os homens da sua tribo em criaturas horrendas que não suportam a natureza, tanto as plantas como os animais.

É uma luta injusta, mas Noite Branca sempre atormenta um guerreiro duas noites antes de seu ataque, ele escolhe Papa-Capim, o curumim não é levado à sério pelo seu Pajé, pois ainda é muito novo para ser considerado um guerreiro.

A aldeia então é atacada, e é dever de Papa-Capim encontrar Noite Branca e resgatar sua tribo, com isso ele conta com a ajuda de outra grande lenda,  o Cobra Honorato, filho da Grande Cobra, que concede a ele poderes mágicos para combater esse ser sobrenatural.

“E não se esqueça: os Noites Brancas são homens que se separaram da Natureza. Se você quiser salvar seus amigos, terá que unir o espírito deles ao espírito da Natureza.”

A ideia de ter transformado um personagem fofinho e  infantil em um menino num cenário de história de terror foi genial!!!

Marcela realmente fez uma pesquisa incrível ao escrever essa história, ela  conseguiu transformar o mito dos Tatus Brancos em uma coisa bem diferente e ainda assim deixá-lo com a essência indígena evidente, além de um crossover com o Cobra Honorato e Cobra Grande, dois mitos extremamente importantes na mitologia brasileira.

É muito interessante ressaltar uns pontos bem legais que são mostradas nesse quadrinho, como a invasão do homem branco e como foi isso acabou com algumas (quase todas) culturas indígenas, a importância da Natureza e como estamos cada vez mais nos desconectando dela, e também como os adultos subestimam as crianças e seus avisos, pois se o Pajé tivesse escutado o Papa-Capim, a aldeia nunca seria atacada.

A arte também não fica atrás, a os desenhos são bem feitos, e o Renato conseguiu redesenhar muito bem os personagens de Maurício em seu traço, onde dá para identificar muito bem os personagens originais.

 

Eu era um menino, mas começava a tomar consciência das coisas. Foi lá que comecei a crescer e descobri os brancos. Eu nunca os vira, não sabia nada deles. Nem mesmo pensava que eles existissem. Quando os avistei, chorei de medo. Os adultos já os haviam encontrado algumas vezes, mas eu, nunca! Pensei que eram espíritos canibais e que iam nos devorar. Eu os achava muito feios, esbranquiçados e peludos. Eles eram tão diferentes que me aterrorizavam. Além disso, não compreendia nenhuma de suas palavras emaranhadas. Parecia que eles
tinham uma língua de fantasmas.                                                          —DAVI KOPENAWA

 

Espero que tenham gostado da resenha, vocês tem alguma Gaphic Novel de Turma da Mônica em suas coleções?

Comenta aí qual a próxima que vocês querem resenha, quem sabe conseguimos fazer uma série delas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s