Parceiros · Resenhas · Uncategorized

Resenha: Deixa-me te amar (Mariana Monni)

51aNzLndtGL.jpgOlá pessoas, como vão vocês?

trago hoje a resenha de um livro fresquinho na Amazon, tão fresco que eu devo ser uma das primeiras pessoas a lê-lo, ou pelo menos a resenha-lo.

Sinopse:

Eduardo Müller é o homem perfeito! Lindo, inteligente, bem sucedido e bom de cama. O que mais uma mulher poderia querer? Antes que você pense que esse é mais um livro sobre um lindo e irresistível CEO, esqueça!

Ele é um romântico incurável, que sonha em ter uma casa barulhenta, uma família grande e a mulher dos sonhos. Acontece que a mulher dos seus sonhos, Laura, é bem mais complicada do que ele poderia imaginar. Mãe solo de uma casal de gêmeos, ela ergueu firmes barreiras que dificultam qualquer relacionamento amoroso.

Só que Eduardo não é qualquer homem, e não desistirá até que ela diga sim. Mas ele não contava com as surpresas do destino e os desafios que ele trará.

O livro é um romance beeem hot, foi a minha primeira leitura do gênero e me surpreendi muito, gostei do fato da autora usar uma linguagem bem crua e informal, não ter medo das palavras, o que me irrita no hot é a maneira como descrevem cenas usando palavras que mascarem o conteúdo erótico que muitas vezes o leitor fica simplesmente sem entender nada e não consegue visualizar o livro, mas a Mariana Monni não poupou palavras e não colocou sinônimos bonitinhos, foi o português cru, um casal fazendo sexo no qual você consegue imaginar todo o fluxo da leitura sem dificuldades, também gostei do uso de trocadilhos e xingamentos, o que torna o livro real, aproxima o leitor, porque são coisas que fazem parte da nossa rotina, é bom ler e se encontrar dentro da leitura em algum ponto, e o que me agrada muito no cenário nacional atual são as formas de linguagem. A qualidade literária não significa livros enormes com palavras difíceis que suas pálpebras não conseguem se manter abertas por mais de cinco páginas, esse nacional que aproxima as pessoas pela língua falada é bem bacana, o livro me cativou muito nesse ponto.

392146a0-84b5-428e-90b8-6b259a4421a3

O romance por mais apaixonado que pareça, não acho que se encaixe no casal clichê, talvez a intensidade do amor de Eduardo e Laura sim, mas o desenrolar da história não, pois é bem comum nos depararmos com romances que começam apaixonados, que por qualquer besteira rola desconfiança, separação, sofrimento e reconciliação, enquanto nessa leitura é bem claro o sentimento e confiança de Eduardo e Laura, são dois adultos que sabem que é besteira brigar ou largar por qualquer razão, o amor deles não se abala do início ao fim do livro, mesmo tendo um ápice de emoção e suspense, a confiança um no outro permanece filme, o que mostra ser um romance adulto, maduro e principalmente saudável!

Saudável porque tem diálogos, não tem pressão, não tem inseguranças, não tem um mandando no outro e principalmente tem uma mãe dando uma criação impecável aos filhos, enquanto diversos livros trazem a romantização de relacionamento abusivo, Deixa-me te amar traz uma relação sadia e acusa realmente o que é uma relação doentia.

Eu gostei muito da leitura, recomendo para quem não se importa com palavrões e descrições sexuais, é bem fluído e interessante!

Você pode comprar o livro AQUI.

Lançamentos · Parceiros · Resenhas

Uma Canção para Sofia: O bullying e a saúde mental

IMG_2458

Olá pessoas, como você estão?

Bom, um dos livros que eu mais esperei esse ano foi a sequência da série Sofia, o livro Uma canção para Sofia, da nossa parceria Mai Passos G, o primeiro livro foi resenhado aqui no blog e vocês podem conferir  aqui.

Uma canção para Sofia traz os reais motivos que levaram a sua morte tão precoce acontecer, no primeiro livro acompanhamos Sophie, a irmã mais nova que queria unir a família novamente, ali sabemos que Sofia morreu em um acidente de carro onde seu namorado dirigia, mas o que levou eles até ali? é aí que conhecemos o outro lado da moeda nesse segundo livro!

A primeira impressão que  temos de Sofia no primeiro livro, é que ela foi uma adolescente rebelde, teimosa e irresponsável, e foi essa a visão que os próprios pais dela também tiveram, mas e se pudéssemos conhecer suas lutas internas?

Pois bem, toda ação tem uma reação, Sofia sofria muita perseguição na escola, fofocas, piadas em relação ao seu corpo, um dia mais insuportável que o outro, até que um dia a maldade chegou em um nível cruel demais, Sofia foi exposta e humilhada, aquilo marcou seu coração para sempre, a dor chegou no seu limite, ou ela encontrava formas de alivia-la dessa dor ou ela colocava um fim em tudo, infelizmente caminhos duvidosos foram seguidos, Sofia se envolveu com drogas, a sensação de fuga da realidade lhe tirava aquela dor de estar morrendo um pouco por dia quando pisava na escola, seu comportamento já era outro, não por tentativa de dar a volta por cima, mas por defesa, ser agressiva era defender-se de ser machucada de novo e cada vez mais, nem o amor a conexão com Vitor foram suficientes para curar suas feridas.

O livro traz toda essa realidade em torno do bullying, de como as pessoas podem ser cruéis e de como cada um lida com a sua dor, se enfrenta, se foge ou se termina com tudo de uma vez, Sofia foi vítima o tempo todo, até mesmo quando era grossa com quem queria seu bem, era sua defesa para não sentir, não aguentaria sentir mais nada, a vida de Sofia chegaria ao fim cedo de qualquer forma, se o acidente não a levasse, talvez o sofrimento interno tivesse feito isso pouco tempo depois.

IMG_2465

Nós nunca sabemos o que cada um passa, cada um de nós sentimos de uma forma e temos intensidades diferentes de sentir, o que para você não é nada, para o outro é um gatilho emocional muito grande, a lição do livro é: tenham empatia, respeitem as pessoas, nós não sabemos das lutas diárias de ninguém, você nunca sabe o gatilho que pode criar no coração das pessoas, se você for vítima de algo, procure ajuda.

A autora conseguiu ser extremamente tocante, te faz sentir e refletir, o primeiro livro foi maravilhoso, agora com o segundo a série realmente se torna algo muito emocionante e cheios de aprendizados para a vida, a autora não deixa ponta nenhuma solta, o tempo todo consegue conectar os livros sem se tornar repetitivo, leitura fluída e que prende muito!

E por fim, priorizar sua saúde mental não é egoísmo é AMOR PRÓPRIO!

gostou? bem, Uma canção para Sofia estará GRATUITO na Amazon nos dias 30 de setembro e 1 de outubro, você pode adquirir aqui.

22008148_10208008645893263_173605603002832433_n

 

Entrevistas · Parceiros

Crônicas de Markus: Impressões

IMG_2189

Oi gente, como vão vocês?

Ano passado resenhei aqui o livro Crônicas de Markus do nosso parceiro Marcio Zanini, quando li a primeira vez foi a versão em pdf, eu ainda não tinha um kindle e acabei lendo todo o livro pelo meu notebook, mesmo com a luz cansativa da tela, foi uma leitura muito proveitosa, mas esse ano o Marcio publicou seu livro pela editora Xeque-Matte e me enviou um exemplar, no qual eu tive o prazer de reler essa obra e novamente trazer um pouco da minha experiência com a versão física.

Começando pela estética do livro, achei muito bonita, a capa ficou muito bem feita e os detalhes no início dos capítulos deram um charme essencial, dando vida em toda pegada clássica que ele tem.

Não poderia deixar de falar do maior orgulho que deu em ver meu nome nos agradecimentos, as vezes a gente acha que  blog não vale a pena, ai vê isso, é saber que estou no caminho certo, imensamente feliz em fazer parte dessa conquista.

IMG_2213

As folhas amareladas e o tamanho da fonte nos proporcionam uma leitura muito fluída, além da história em si ser fluída, com o livro físico, senti que as informações  foram bem mais absorvidas por mim, senti mais detalhes, o que deu aquela impressão de primeira vez novamente. Não tenho o hábito de reler livros, esse foi o primeiro e eu fiquei bem surpresa comigo mesma na maneira que interagi com ele pela segunda vez.

O livro ainda promete uma sequência para 2018 onde encerrará a duologia.

Fiz uma pequena entrevista com o autor para compartilhar um pouquinho mais do trabalho dele e seus novos projetos, confira:

IMG_2215

1. O que podemos esperar da sequência de crônicas de Markus?

Podemos esperar a conclusão dessa etapa da vida de Markus que será mais maduro e confortável com a sua situação. Garanto que terá fortes emoções e as pessoas nem imaginam o que irá acontecer.
2. Como tem sido a experiência de trabalhar com editora?

Tem sido maravilhosa para mim. Muito melhor do que trabalhar por conta própria.
3. Você acha que o contato com editora te abriu mais oportunidades?

Sem dúvidas. Uma editora me da mais visualização. Conheço mais pessoas do meio e uma coisa puxa a outra.
4. Tem mais projetos em vista além da sequência de crônicas?

Até o final de 2018, serão três projetos e não mais do que isso. Será o Crônicas 2,  o Vítimas da Obscuridade pela Aldeia dos Livros e um projeto ainda em segredo pela editora Hope.

Gostou? Você pode adquirir o livro clicando no ícone aqui do lado no nosso layout que te encaminha direto para o site de compra!

Espero que tenham gostado ❤

Entrevistas · Parceiros

Entrevista: Andreia Evaristo

Olá, como vão vocês?
Hoje é dia do escritor e trouxe para vocês uma entrevista com a nossa parceira Andreia Evaristo, no qual resenhei dois livros por aqui, Chiclete pra guardar pra depois e Allegra – Antes do play.

19113722_1865098850408998_3770327046820663195_n
Foto: Feira do livro de Joinville

Andreia Evaristo é professora de português, inglês e literatura. Formada em Letras pela Univille. Pós-graduada em linguagens, dona do blog Qualquer Sentido, também escreve crônicas de sábado do jornal A Notícia, da cidade de Joinville (SC), escreve poemas, contos e tem-se dedicado à escrita de romances. Coordena um grupo de escrita criativa Joinville, com o objetivo de incentivar a produção de literatura de qualidade.

1. (Raissa) Em Chiclete pra guardar pra depois, tem alguma crônica ou algumas que tenham acontecido com você ou com algum conhecido?

(Andreia) A maioria das minhas crônicas parte de cenas vividas por mim. Afinal, crônica tem essa ligação profunda com quem o escritor é de verdade, com o que ele acredita, com o que ele pensa/vivencia. Ou seja, nenhum texto ali é 100% ficcional. Claro, a gente desenha uns detalhes para adequar a realidade ao que quer transmitir, mas todos os textos são “acontecidos” comigo ou com quem convive comigo.

2. (Raissa) Desde quantos anos você escreve? Que colocou em mente que era isso que queria para tua vida?

(Andreia) Escrevo desde que aprendi (hahahah). As letras sempre me fascinaram. Aprender a ler e a escrever foi como descobrir um mundo novo, cheio de magia. Mesmo não tendo pai e mãe leitores, a literatura sempre foi muito presente na minha vida. Trocava brinquedos por livros, muitas vezes. Aos onze anos, venci um concurso de escrita na minha escola – com os dois livros mais lidos e votados pelos alunos. Foi meu primeiro mérito literário. Minha adolescência foi permeada por diários e mais diários escritos (hoje devidamente queimados) e agendas com citações de escritores famosos, além de poemas que eu já me metia a fazer. Mas acho que foi na faculdade que eu decidi que poderia levar a coisa mais a sério. Enviei alguns poemas e contos para concursos; cheguei a ser contemplada em alguns deles, mas não cheguei a publicar nada. Depois de formada, criei meu primeiro blog (em 2004). Lá, colocava as mãos nas minhas primeiras crônicas. Migrei para um blog de moda, mas continuei a colocar um ou outro texto literário em meio às postagens. Em 2015, mandei meu primeiro romance young adult para um concurso e tirei 4º lugar. Nessa mesma época, Jura Arruda, meu primeiro editor, enviou algumas das minhas crônicas para o jornal da cidade. Acho que foi ali, em 2015, que eu percebi que não tinha mais volta.

3. (Raissa) Quanto de Andreia tem em Allegra?

(Andreia) Na personagem ou no livro? A personagem tem algumas semelhanças comigo. Como ela, eu também tenho a pele bem branca, tenho um estilo diferente das outras pessoas (não sou pin-up, mas chamo a atenção com meus cabelos coloridos) e conheci meu Senhor Admirador Secreto pela internet. Também sou gorda e não acredito que as pessoas valham mais ou menos pelo que aparentam – e também acredito que ninguém precise se enquadrar em qualquer padrão para ser feliz. Podemos ser tudo o que quisermos – e ninguém tem nada a ver com isso.

4. (Raissa) As característica de Allegra, tanto a aparência quanto a história em si, fogem dos padrões literários que estamos acostumados (e exaustos) de ler. O que te motivou a criar Allegra?

(Andreia) Quando eu lancei o Chiclete por um edital de apoio à cultura, eu elaborei uma palestra para estudantes, como contrapartida social, com o tema “a mídia e o corpo feminino”. Verifiquei na prática o quanto os adolescentes, em especial as garotas, sofrem com padrões impostos que, muitas vezes, são inatingíveis. Acho que isso me motivou, até certo ponto, a começar Allegra. Outra coisa que eu queria era escrever mais uma releitura de outro conto de fadas (Em pele de cordeiro também tem referências a um conto de fadas, no caso, Chapeuzinho Vermelho). Achei que Cinderela combinava bem com o que eu pretendia com Allegra.

5. (Raissa) Podemos considerar Allegra como um grito contra os padrões?

(Andreia) Mais que um grito contra os padrões, Allegra é um chamado à autenticidade, à liberdade. Que sejamos livres para ser quem nós quisermos e que possamos compreender que, para sermos felizes, não precisamos ser perfeitos.

6. (Raissa) Em algumas partes, notei que Allegra acaba comendo quando está triste, ou seja desconta todo o emocional na comida, podemos dizer que ela sofre de algum distúrbio alimentar causado por traumas ou é um comportamento moderado dela?

(Andreia) Não chega a ser um distúrbio alimentar, mas é uma válvula de escape – como muitas pessoas gordas. Muita gente desconta na comida suas frustrações, como muita gente desconta na bebida alcoólica, na atividade física, na literatura… O ser humano sempre busca conforto no que lhe parece mais cômodo. No caso de Allegra, é a comida.

7. (Raissa) Os capítulos dos livros levam nomes de trechos de músicas do Elvis Presley. Essa escolha foi exclusiva para construir a personagem ou você é fã e quis colocar um pouco disso nos livros?

(Andreia) Eu sou fã de música boa, independente de quando ela foi produzida. Claro que Elvis faz parte do meu repertório, mas não sou tão fã quanto Allegra. Eu aproveitei o que eu conhecia do cantor e associei com o fato de Allegra ter esse estilo rockabilly – e achei que o casamento foi perfeito.

8. (Raissa)  Você é professora de Língua portuguesa/inglesa, né? Seus alunos também são seus leitores? Como é esse contato tão próximo com o leitor?

(Andreia) Sim, meus alunos são meus leitores – tanto os alunos atuais quanto os que já passaram pelas minhas aulas e se foram (já são mais de 20 anos em sala de aula, visto que comecei aos 15 num jardim de infância). Eu adoro esse contato mais próximo. Acho o máximo quando um aluno se identifica com algum personagem, se emociona com algum trecho. E quando estou produzindo livros novos, costumo fazer enquetes para saber como cada um lida/lidou com determinadas situações – mas essas enquetes eu costumo fazer pelas redes sociais. Isso me ajuda muito a criar situações verossímeis e com sentimentos bem autênticos. Aliás, o que seria de um escritor sem o contato com o leitor?

Foi isso gente, espero que tenham gostado!

Lembrando que Allegra Antes do play está na pré venda e você pode adquirir AQUI.

Parceiros · Resenhas

Resenha: Lavínia e a árvore dos tempos – Lucinei Campos

Olá, como vão vocês? Hoje trago para vocês uma resenha de um dos livros do nosso querido parceiro Lucinei Campos, Lavínia e árvore dos tempos.

2a4b98aa-1a4d-4345-816a-1db222fd64e4

O livro começa narrando a vida de dois personagens em paralelo:
Lavínia, uma menina com 9 (quase 10) anos, tem uma vida “normal”, acorda cedo, vai para escola, volta para casa e ajuda com os afazeres domésticos até seus pais chegarem do trabalho, mas algo nessa vida que a incomoda: a falta de amigos (só tem um amigo mais novo que vai na casa dela todos os dias) e por ser uma menina que não se encaixa em nenhum grupinho, acaba sofrendo bullying de todos seus colegas de classe.
O outro personagem é Laus, uma fada macho que cometeu crimes hediondos junto com seu irmão contra a humanidade e o mundo mágico, passando assim a odiar os humanos, sabendo disso, O Conselho capturou ambos, o irmão de Laus foi mandado para a prisão do Tártaro e ele recebeu a pior pena de sua vida, cuidar de uma menina humana por um ano corrente seguindo o calendário dos humanos, para isso ele precisa se disfarçar, virando assim Lorivaldo, um homem baixinho de cabeça chata que faz mágica com uma peixeira.
Em meio a brigas, discussões, descobertas e muuuuita magia, Lavínia e Lorivaldo descobrem que eles não estão juntos por acaso.

EU TENHO UMA FADA E NÃO TENHO MEDO DE USÁ-LA

Gostei muito do livro por causa de dois temas que ele aborda, a primeira parte contando sobre como a Lavínia sofre bullying na escola, o autor conseguiu descrever a triste realidade de alguém que sofre disso, todo drama que Lavínia sofre durante o livro é o mesmo que vários alunos sofrem nas escolas.
O outro tema que eu fiquei encantado foi o Mundo Mágico, amo fantasias e aventuras, Lucinei conseguiu reproduzir detalhadamente um mundo que várias pessoas gostariam de viver, a inspeção de seres mágicos brasileiros deixou o livro ainda mais interessante de se ler, provando que no Brasil existem mais seres mágicos do que imaginávamos.
A narrativa é bem detalhada e ágil, fazendo com que possamos acompanhar as aventuras da dupla em cada capítulo sem se dar conta de quantas páginas já foram lidas, isso é ótimo provando que o conteúdo é maravilhoso a ponto de que podemos ver a dupla encrenqueira brigando na nossa frente.
Com um desfecho intrigante e vários mistérios a serem resolvidos, Lavínia e a Árvore dos Tempos é um ótimo livro para se ler em voz alta para uma criança.

Você pode adquirir o livro aqui.

 

Parceiros · Resenhas

Resenha: Allegra – antes do play + Pré-venda

IMG_2182

Oi gente! Como vão vocês?

Resenha quentíssima saindo do forno! do livro Allegra – Antes do play da nossa parceira Andreia Evaristo

Sinopse: O que Cinderela tem a ver com livros e youtubers? Allegra é uma figura peculiar: gorda, baixa, branquela e com um estilo retrô. Apesar disso, é o clichê da Cinderela: órfã de pai e mãe, mora com a madrasta Maura e suas duas filhas, Pam e Mel, que são tudo o que ela não é: altas, magras, lindas e negras. Para completar a imagem da gata borralheira, Allegra trabalha para as irmãs, editando seus vídeos para canal Be Twins no Youtube. Estudante de Letras, Allegra sonha em se tornar escritora. Mesmo sua melhor amiga Verônica insistindo que ela deveria publicar suas histórias na Amazon, Allegra insiste em publicar tudo gratuitamente pelo Wattpad, porque não acredita que alguém pagaria para ler o que ela escreve. Um de seus leitores, com o pseudônimo de “Orfeu apaixonado”, começa a se corresponder com ela por email, e Allegra percebe que sua admiração extrapola sua escrita. Ela não pode negar que também acaba se interessando por ele, mesmo sem saber quem ele é.Tudo muda no dia em que Allegra recebe um email de Orfeu, que chega através da conta de um canal do Youtube chamado Os MosqueteiroZ. Curiosa, ela descobre que o canal é mantido por três youtubers famosos – Darta, Fred e Constantin – e que um deles deve ser Orfeu. O problema é que eles acabam de lançar um concurso de vídeos, com o lema Seja sua melhor versão, concurso este que as irmãs pretendem ganhar a qualquer custo, o que inclui, se necessário for, dar em cima dos youtubers.

O livro é muito fluído mesmo, me prendeu do início ao fim, vibrei muito com a leitura, sabe quando você precisa parar de ler para fazer outra coisa mas seu cérebro não se desconecta da leitura e você só pensa naquilo? Então, eu estava assim, é um livro bem atual e muito bem trabalhado, realmente Allegra é uma Cinderela moderna!

Eu fiquei muito orgulhosa desse livro e super recomendo, a questão de Allegra ser uma menina fora dos padrões, ali você consegue entender as frustrações dela, insegurança, baixa autoestima, o descontar na comida todo o estresse emocional, a pressão social em relação a padrões magros, e a questão da aceitação do corpo, tem mais a ver com a forma que as irmãs a enxergam do que com a forma que ela mesma se enxerga, pois para ela gorda não é ofensa e ela é como é, o problema está em como os outros a veem, sobre como é diminuída por ser exatamente como ela é pela própria família que a cria. Alguns momentos eu queria entrar no livro, olhar para Allegra e falar “te falta ódio no coração menina!” por tudo que ela aguenta da madrasta e das irmãs, ela é escrava na própria casa, escrava pelo trabalho para as Be Twins e escrava emocional pela dona Maura, a madrasta que a manipula o tempo inteiro. No livro, uma curiosidade, é que cada capítulo leva como título alguma frase aleatória de músicas aleatórias do Elvis Presley, ídolo da personagem.

IMG_20170711_214906

O livro passa uma ótima mensagem em relação a inseguranças e amor próprio, a sonhos, ao amor e de como a questão de se tornar figura pública na internet podem ter coisas bem tristes por trás das câmeras e posts, e claro, no meio de tanto romance de gente magra de olhos azuis, Allegra realmente trás para a gente o amor real, nu e cru de pessoas normais como nós!

O livro eu havia baixado pela Amazon quando era independente mas agora a autora fechou contrato com a Editorial Hope e Allegra – Antes do play terá versão física lançada pela editora! O livro aliás já entrou na pré-venda dia 3 de julho e dura 40 dias.

 Ao adquirir um exemplar, você concorre ao sorteio do seguinte kit:
* ecobag Allegra
* caneca Allegra
* 6 marcadores de papel
* marcador de fita com pingente de pimenta
* um exemplar autografado de Chiclete pra guardar pra depois
* um exemplar de CONTOS E ENCONTROS DO CORAÇÃO
* uma almofada Allegra

Para concorrer, após a compra, você precisa enviar seu comprovante para qualquersentido@gmail.com com o assunto “SORTEIO ALLEGRA”.

Você pode comprar o livro AQUI e aproveita está na P R O M O Ç Ã O!

Espero que gostem ❤

Parceiros · Resenhas

Resenha: Perdida em seu coração – Série Sob o domínio do ritmo, livro 1 (Suellen Mendes)

Oi gente, como vão vocês?IMG_20170530_223550_452

Hoje dando continuidade a resenhas de livros da Editora Independente, nossa parceira, trago o livro Perdida em seu coração da Suellen Mendes que recebi da editora:

Sinopse:

H17758298_368643103536393_7959344165593064996_oá seis anos Fernanda se mudou para Londres. Durante esse tempo, a jovem brasileira conseguiu tudo o que queria – estabilidade profissional e o reconhecimento como a bailarina principal daBallet Company, além de um relacionamento que aparentemente era perfeito. Durante suas férias, a jovem retorna ao seu país de origem e se vê atraída pelos enteados de sua tia. Em um jogo envolvente, os dois irmãos a encantam, fazendo com que ela reveja suas escolhas até então, esquecendo-se de Ty – seu namorado londrino – até que este decide visitá-la no Brasil, criando muita confusão e deixando Fernanda perdida em meio aos seus sentimentos.
“Olhei para ele e o deixei fazer aquilo que a música clamava: deixei-o me beijar como eu realmente queria ser amada! Pude sentir a verdade em seu toque e me entreguei ao momento. Apesar de me sentir perdida, eu me encontrei nos braços dele”

Fernanda é uma dançarina brasileira que vive em Londres, divide apartamento com sua melhor amiga Becca e Namora Tyler, seu parceiro de dança. Fê tem grandes feridas no coração, causadas por traições do passado e hoje seu maior medo é passar por todo esse sofrimento novamente.

Apesar de estar bem em Londres, se sente sozinha as vezes, sente falta do lar, da família, de tudo aquilo que sempre esteve com ela infância e adolescência toda, a única razão que lhe mantém no exterior é seu relacionamento com Ty, então nas suas férias decide retornar ao Brasil, chegando lá conhece os irmãos Gabriel e Max que a deixam totalmente balançada. Gabe totalmente romântico, atencioso e Max cheio dos jogos de cintura, sedutor. Mesmo balançada ela pensa no respeito com Ty, ela repreende totalmente traições, até que misteriosamente Tyler resolve vir ao Brasil atrás dela, então muita coisa começa a mudar na vida de todos eles.

Eu gostei muito da leitura, acho que é o primeiro livro desse ano que li de uma maneira tão fluída e rápida, que mesmo quando dava pausas na leitura para realizar outra tarefa, ao retornar eu conseguia me sentir totalmente conectada com a leitura no ponto onde parei. Os diálogos são bem naturais, nos da uma sensação de proximidade, ainda mais por ser nacional.

O livro ainda possui volume 2 e volume 3 formando assim uma trilogia, as sequências ainda não possuem datas de lançamento. Ao fim do primeiro podemos degustar partes dos próximos livros, porém preferi não ler para não ficar ansiosa instigada esperando as sequências (evitando sofrimentos né?).

O livro por ser adquirido pela Amazon através do link AQUI.

Espero que gostem!

beijos ❤